evig: (14 - cello)
Juliet ([personal profile] evig) wrote2017-06-19 03:47 pm
Entry tags:

Trio Geração Perdida de Minas Gerais (show 2 em SP)

No dia 1 de junho, uma quinta-feira, o Vitor Brauer, o Jonathan Tadeu e Fernando Motta fizeram um show em SP, o segundo. O primeiro eu perdi e tava chovendo pra caramba, mas dessa vez eu chamei a Ká que tinha tido uma crise de fibromialgia e as duas atoladas de trabalhos para serem feitos. Mas quarto ano, já sabemos que quando chega essa época, é preciso espairecer. Pois bem, o Vitor eu já conhecia da Lupe de Lupe, o Jonathan eu não conhecia, mas se tava no rolê com o Vitor, só podia ser gente boa, mas eu tinha ouvido pouco do som dele naquela semana porque o meu celular tinha pifado e etc. O Fernando eu tinha aquela sensação de já ter ouvido falar dele, mas não lembrava e só depois que meu computador foi arrumado é que eu vi que eu tinha o álbum dele baixado e que eu já tinha ouvido enquanto fazia faxina e coisas assim (Descoberto pelo Na Mira do Groove).

Mas voltando ao dia 1, os caras tinham mudado a casa de show a poucos dias, e conseguiram na Associação Cultural Cecília, perto do metro Marechal Teodoro. Chegamos lá umas 6h e a casa abria as 7h. estávamos sentadas na porta quando os três mais uma galera apareceu e ficou conversando com um outro cara que tava sentado lá. Eu sou muito nervosa e a Ká também então a gente nem conversou com eles (eu não conseguia olhar pra eles).

Eles entravam e nós ficamos mais um tempo lá fora, conversando. Algumas pessoas entraram e em algum momento o Fernando (que quase não vem pra turnê) saiu pra fumar. Novamente fiquei fingindo que não era nada demais. Quando decidimos entrar eu lembei que tinha que trocar o dinheiro. Então fomos comer na padaria da esquina. Quando voltamos, a pessoa que estava na lojinha/bilheteria era o Vitor. Não sei se foi ele que disse oi primeiro ou eu. A Ka estava perguntando pra mim onde teria um lixo pra jogar a garrafinha de fanta laranja, não tinha visto que era o Vitor. Mas quando viu pediu foto e eu a tirei.



E depois ou antes disso, ela perguntou se eles iam tocar Eu já venci, e iam. Karina deu o dinheiro e Vitor agradeceu por ser trocado. Vi as camisetas mas não perguntei o preço (meu orçamento do mês é apertado). Subimos a escada e pegamos o final da banda Blues Drive Monster. Tinha em torno de 20 pessoas na casa e depois de uns 15 minutos, os caras começaram a montar os instrumentos no chão e não no palco, no meio do espaço.

Não lembro do setlist exato, mas eles mesclaram as músicas de cada um e eu me lembro que do Fernando, tocaram Céu e Sexto Sentido e uma outra que ele disse que ele fez pro relacionamento com o vídeo-game (mas eu perguntei no curiouscat dele e era Videokê e não vídeo-game...). Do Jonathan, Sorriso Besta e Sorriso Amarelo e uma outra que eu acho que era Quase, mas não tenho certeza. Do Vitor (e nessas a gente se acabou de cantar, até cantamos errado) RJ (Moreninha), SP (Pais Solteiros), Fogo-fátuo, Eu Já Venci (que o Fernando esqueceu a hora de entrar, depois o Vitor falou sobre ela e sobre seu aprendizado em dois meses de bateria), Homem (que eu não esperava porque não é do último álbum) e a última foi 17, que eles deixaram que a gente cantasse no microfone. Eu e a Ká ficamos onde estávamos. Em algum momento do show o Vitor chamou todo mundo pra ficar mais perto deles e num outro momento disse que o Fernando estava solteiro (diga-se de passagem, a Ká está apaixonada por ele). Fomos embora e minhas pernas ainda tremiam ao descer as escadas.


Ká é essa primeira pessoa de costas e eu em sua frente, antes do Vitor chamar a gente pra mais perto.
 

[personal profile] alegoria 2017-06-19 08:48 pm (UTC)(link)
aaaaa shows assim parecem ser bem mais tranquilos e divertidos do que as coisas que eu imagino que os shows dos meus artistas favoritos devem ser. fico feliz que você tenha conseguido ir. :3